“Da Minha Casa Para Sua Casa” Aretha Sammia

Campanha dos Professores

Os professores nunca mais serão os mesmos, assim como a nossa educação, essas mudanças contribuíram para um olhar mais atento, diferente e mais humano para o outro. Hoje vamos para Teresina conhecer a história de amor pela profissão e determinação. 

Formada em pedagogia, Aretha Sammia, trabalha em projeto social desde dos 18 anos. Tem como inspiração sua mãe, que desde pequena  levava ela para participar dessas ações. “ Eu não entendia muito na época, mas hoje enxergo como é importante esse olhar de cuidado com o outro” afirma.

Filha única, Aretha sempre foi muito paparicada. Mais chegou um momento na sua vida que ele enxergou que precisava de mudanças. “No colégio interno que eu fazia parte aprendi a dividir muita coisa, a menina que tinha tudo só pra ela , enxergou que o mundo não girava ao seu redor e que não era o centro das atenções. Percebi que eu tinha que mudar” destaca. 

Ao sair do colégio interno, nesta busca pela independência ligada aos projetos sociais, ela se apaixonou pela arte. Teve um contato muito direto e neste momento decidiu trocar a informática por pedagogia, ao formar ficou como pedagoga social .  Aretha começou a trabalhar como atriz profissional. “Sempre trabalhei com crianças e adolescentes. Desenvolvi projetos junto com o Sesc, sempre tive um amor especial pelos adolescentes, eu quero levar arte para os adolescentes”.

“Arte salva vidas” 

Aretha se encontrou como professora de arte, “aprendi a trazer o cotidiano dos alunos para a sala de aula, não somente ensinar o que está no livro, eu não posso ir para sala de aula e ensinar somente, a,b,c, eu preciso preparar esse aluno para vida, como viver para o mundo, entender a sua existência e não prepará-lo só para vestibular” ressalta.

“Trabalho com meus alunos os 4 pilares da educação que são : quem sou eu, eu e o outro, eu e minha família ,eu e minha comunidade e como contribuo para minha comunidade. Faço isso em todas as minhas aulas”.   

Ela conta sobre o prazer em trabalhar com o projeto EI. “Quando eu conheci o material da Escola da inteligência me identifiquei muito, porque era algo que eu já fazia. Sempre me preocupei com meu aluno, de onde ele ta vindo, como ele está vindo para aula. Fiquei encantada com o projeto EI e já era super fã do Augusto Cury, estou cada dia mais apaixonado por este trabalho” completa.

Aretha fala sobres os desafios enfrentados este ano. “Sou professora , atriz, estou sempre muito ligada em preparar minhas aulas e meus espetáculos e de repente me vi trancada dentro de casa, daí eu penso, se eu com meus 30 anos estou assim, imagina meu alunos. Desde criança eu nunca entendi porque às aulas eram tão monótonas e hoje eu tento fazer uma aula dinâmica, alegre, motivadora que trabalha realmente a criatividade do aluno”. 

“O professor criativo ele ajuda o aluno a ser melhor, a participar, o inspira”.

Por estar diretamente ligada a arte, ela teve ajuda de uma personagem muito especial. “Nessa quarentena eu comecei a fazer vídeos, não tinha experiência nenhuma. Uso a palhaça pimenta ( um personagem meu) que é comportada, inteligente e através dela eu falei com meus alunos de uma  forma divertida. Levo dicas de higiene (como usar mascara e alcool em gel), frases de motivação, poesias e muita interatividade”.

“A educação não é ser dono do saber , sou uma mediadora dela , na roda com aluno aprendemos juntos. Segura na minha mão, que eu não posso fazer sozinho”.

Ainda falando sobre as mudanças deste ano, ela fala sobre a nova rotina com os alunos. “Alguns alunos entraram em contato comigo, falando que estavam ansiosos,  angustiados, se sentindo mal dentro de casa. E comecei a fazer live para o adolecentes, primeiro começou com meus alunos e agora muitos outros participam também. Incentivei meus alunos a gravarem vídeos também, mostrando ações bacanas e atividades que eles realizaram. Percebi que através dos grupos que criei para receber atividades, vi que eles estão mais solidários, na sala tinha muita crítica e hoje vejo que isso mudou, um está elogiando o outro, ajudando e incentivando, estou muito realizada” completa. 

“Me considero uma professora realizada, trabalho com uma equipe que acredita no meu trabalho, que me apoia e me dá todo suporte”.

“Professores não desistam, saiam da zona de conforto, supere as dificuldades, e acredite no potencial de vocês. Pare de dizer que está difícil, que está cansado. Não dá, não posso! foque nas energias positivas. Atenda da melhor forma possível.  Se você escolheu ser professor, seja o melhor professor. Se eu quero transformar alguém, primeiro eu preciso me transformar. Com paciência eu vou colhendo os frutos.”

Aretha Sammia 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *